companhia de dança

A Companhia de Dança Contemporânea da UFRJ é um grupo artístico de representação institucional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desde de sua criação em 1943, pela Professora Emérita Helenita Sá Earp, se caracteriza como um núcleo de pesquisa e experimentação na dança como uma forma de expressão da arte contemporânea.

Por ser uma companhia vinculada a uma instituição pública de ensino superior, as pesquisas artísticas têm como resultado, além da produção e apresentação de espetáculos, vídeodanças, vídeos didáticos, documentários e a publicação de artigos científicos que discutem questões diversas sobre o corpo, a cena e os seus processos criativos, considerando uma dinâmica de ações integradas entre o ensino, a pesquisa e a extensão.

Na sua trajetória, acumula centenas de apresentações entre eventos nacionais e internacionais, onde destacam-se as turnês realizadas nos Estados Unidos em 1951 e na Espanha, Portugal e Holanda em 1965; apresentações no Festival de Dança Teatral do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro em 1973, no I Festival de Escolas de Dança do Brasil na Universidade do Paraná em Curitiba em 1962, além de inúmeras temporadas em várias capitais do país pelo Plano de Ação Cultural do MEC em 1973.

Sob coordenação de Ana Célia de Sá Earp, a companhia se apresentou no I Simpósio Internacional do Cuballet e no II Encontro Latino-Americano de Dança Contemporânea, ambos realizados no México em 1991 e 1992 respectivamente; na ECO 92; nas IX e XI edições do Festival de Dança de Joinville, no XXV Festival Internacional de Teatro e Dança em Munique na Alemanha, além de inúmeras temporadas e apresentações em teatros no Rio de Janeiro e outros estados do país.

As pesquisas desenvolvidas na Companhia foram fundamentais para o desencadeamento de ações que culminaram na criação do Curso de Bacharelado em Dança da UFRJ em 1994. Atualmente a companhia conta com uma diversidade de linhas de pesquisa em linguagens coreográficas. Hoje a companhia acontece através de diversos projetos coordenados por Maria Inês Galvão, Patrícia Gomes Pereira, Maria Tatiana Damasceno, Ana Célia Sá Earp, Lara Seidler, Aline Teixeira, Maria Alice Motta e André Meyer; docentes-pesquisadores interessados em investigações artísticas de naturezas diversas que tenham a dança como caminho da prática como pesquisa em linguagens e processos de criação cênica.


Recentemente a Companhia participou da organização, produção e divulgação da Ocupação 100 Anos Helenita Sá Earp, que aconteceu no Teatro Cacilda Becker da FUNARTE no período de 04 a 22 de dezembro de 2019. A ocupação contou com uma ampla programação com oficinas, performances, seminários, mesas redondas, companhias de dança, mostra de videodança, lançamento de site, vídeo didáticos, exibição de filmes e muito mais. A programação teve participação especial do Programa de Pós-Graduação em Dança da UFRJ, da coreógrafa Belga Marie Close, da Mosaico Companhia de Dança Contemporânea da UFV, da Nudafro Companhia de Dança Contemporânea da UFRJ, da Companhia de Dança Contemporânea UFRJ, do Projeto Corpo Estranho e da Companhia Folclórica do Rio – UFRJ. Para maiores informações, ver o clipping OCUPAÇÃO 100 ANOS HELENITA SÁ EARP. 

Uma marca do reconhecimento do trabalho da Companhia em 2019, e em particular, da Performance “Corpos Híbridos”, foi sua aprovação para a programação do Festival Internacional de Fotografia de Paraty – Paraty em Foco, desta vez, junto com a Exposição Fotográfica “Corpos Híbridos”. 

 
Portfólio-CDC-UFRJ_2019_CORRIGIDO_09_mar

Faça download de nosso portfólio:

Faça download de nosso livro:

 

Grafias Moventes

“Grafias Moventes” é uma obra que une fotografia, pintura, dança, indumentária e alimento numa trama que nos conecta a tudo e todos. Com esta vibração, as imagens buscam evocar uma dimensão de cuidado, justamente neste momento de pandemia, onde somos chamados a realizar mudanças. É nesta perspectiva que “Grafias Moventes" integra várias dimensões do habitar poético do corpo em movimento, num mosaico plástico, visual e sonoro. “Grafias Moventes” foi contemplada pelo Prêmio Funarte RespirArte 2020 - FUNARTE.

VÍDEOS